Leitor Autônomo Para se divertir Poesia

Dica de literatura: “O livro dos porquês”.

Segunda- feira é dia de dica de literatura no Na Corda Bamba da Educação!
Todas as segundas traremos para você dicas de livros infantis divertidos e educativos!
A dica de hoje é pra saciar e aguçar mais a curiosidade das crianças.
Com a era digital e o Senhor Google, as crianças estão expostas a um mundo cada vez maior de informações, mas ainda não tem instrumentos para interpretá-las. Ao mesmo tempo a partir dos 3 anos elas começam a compreender mais o mundo que as cerca e, consequentemente, a perguntar sobre ele. É também por esse motivo que os porquês infinitos começam a aparecer em suas falas.

É importante não só escutar a criança nesse momento, (mesmo que não se saiba responder a todas as perguntas) quanto estimular sua curiosidade pelo mundo. Já dissemos por aqui: quem não sabe nada não faz perguntas, então pergunta é sinal de saber! Não saber a resposta é um ótimo motivo para vocês pesquisarem e aprenderem juntos. O importante é que a criança se sinta estimulada a perguntar e buscar as respostas de suas perguntas.

Por que o mar é salgado? Por que levamos choque? Por que lembramos e esquecemos?  O “livro dos porquês” da Companhia das Letras traz essas respostas de outras perguntas que vivem martelando a cabeça dos pequenos (e a nossa também)! O livro é uma parceria com os colaboradores da revista Ciência Hoje das crianças. Você pode ler para as crianças menores, pode brincar de ler uma pergunta por dia. As crianças maiores de 7 anos já podem ler sozinhas já que a linguagem do livro é fácil e acessível a eles.

Se você se interessou pelo tema dos porquês? Amanhã tem mais dicas sobre o assunto! Aguarde e continue lendo o Na Corda Bamba da Educação!

Sobre o autor

Isabella Zappa

Isabella Zappa

Pedagoga, psicopedagoga e mestre em Educação pela PUC-Rio. Atua como professora do Ensino Fundamental I e faz atendimento psicopedagógico de crianças com questões de leitura e escrita, usando a literatura infantil como aliada nesse processo.

Deixe um comentário