Literatura

Feliz dia do professor!

Feliz dia do:
“amarra esse sapato!”
“vira pra frente!”
“Presta atenção!”
“Estou esperando a turma se organizar pra começar o dia!”
“É assim que você fala com seu amigo?”
“Cade o seu caderno? Você fez o dever de casa?”
“O que houve? Onde está doendo? Já vai passar!”
“Você lanchou?”
“Turmaaaaaaaaa!!! 1,2,3!”
“Vem tomar seu remédio!
“Não faz isso, vai estragar seu uniforme!”
“Desce daí!”
“Qual é a resposta? O que você acha?”
“Isso!! Muito bom! Não disse que você ia conseguir?”
“Faz do seu jeito!”
“Pare de implicar com o amigo!”

Dentre mil e uma expressões, essas foram as que me vieram à mente nesse momento. Ser professor é cuidar do corpo, da alma, dos desejos, da não satisfação de todos os desejos, da educação da mente, das emoções, do espírito.
É ter olhos atentos para o todo e para o particular ao mesmo tempo, assim, sem pensar. É olhar para todos e cada um ao mesmo tempo. É ter olhos de cirurgião para corrigir, mãos de fada para acalmar, olhos atentos, cuidadosos e desconfiados. É ensinar e deixar-se ensinar. É promover a construção do conhecimento deles e do seu ao mesmo tempo. É “agir na urgência, decidir na incerteza”. E quantas incertezas…
Ser professor é refletir a cada instante sobre o ato, o retrato e o próximo passo. É pensamento constante em cada um daqueles que fica com a gente somente por alguns meses ao longo da vida. É dedicar-se de corpo, alma, mente, espírito no intuito de que, depois daqueles meses, mesmo que pequenina, haja alguma mudança. É perder o sono, a fome, o tempo, o final de semana…
É promover espaço pra transformação, é às vezes se esquecer-se da razão e dar lugar ao mais puro sentimento, seja ele qual for. É entender que muitas vezes a gente não sabe quem tem razão e talvez isso nem seja o mais importante.
Ser professora é ser mãe,pai, tia, avó, amiga, ensinante, enfermeira, psicóloga, mediadora durante 5 horas por dia, com a profundidade que o tempo não permite.
Essa profissão que combina amor e insanidade, dedicação e criatividade, persistência e intensidade, loucura e vaidade é que me faz acordar todos os dias, na ingenuidade não de transformar o mundo, mas de ajudar a construir dentro de cada um, a liberdade, o pensamento crítico, a fraternidade, a sensibilidade, a reflexividade,o respeito, a possibilidade de resolver problemas simples e complexos, a persistência, a autoestima, a convicção e tantas coisas mais que existem por aí. E quem sabe se no meio disso a gente ainda consiga ensinar alguma coisa…

Sobre o autor

Isabella Zappa

Isabella Zappa

Olá, eu sou Isabella, autora do Na Corda Bamba! Fiz minha graduação e mestrado em Educação na PUC-Rio e uma pós graduação em Psicopedagogia. Além de escritora e poeta, sou professora de Ensino Fundamental I . Meu grande objetivo é formar leitores e escritores! Por isso, livros, letras e poesia transbordam nas minhas aulas!

Deixe um comentário