Diversidade Leitor Autônomo Leitor Experiente Política

Coleção Boitatá: democracia, política e gênero para crianças!

 

Me deparei com essa coleção em sala de aula, em meio um projeto sobre ativistas dos direitos humanos.

Os livros já tinham sido adotados pela série acima (5o ano), mas, depois de tantas discussões sobre direitos e deveres, não pude deixar de lê-los para meus alunos. E foi um sucesso.

Nos encantamos imediatamente. Linguagem simples, objetiva e adaptada ao universo infantil. Ilustrações coloridas, irreverentes e muito bem feitas. Cada livro de um ilustrador diferente, mas os quatro igualmente talentosos.

A dobradinha Ditatura/Democracia  é sensacional!

É muito importante contar para as crianças sobre o que nosso país viveu em um passado muito recente. Mas isso precisa ser feito de maneira leve e com um vocabulário adequado à faixa etária.

 “A ditadura é como um ditado:
Alguém diz o que é para fazer, e todo mundo faz.
Porque tem que ser assim e pronto.”

“Em qualquer ditadura, é proibido pensar por conta própria. Pois o ditador exige que as pessoas só pensem o que ele quer que elas pensem.”

No texto da Equipo Plantel, Democracia, uma palavra tão difícil de ser explicada, é comparada ao recreio da escola:

“A democracia é como um recreio em que todos podem brincar de tudo.
Na democracia as pessoas podem:
– Pensar o que quiserem
– Dizer o que quiserem
– Encontrar e se reunir com quem quiserem.”

“Aqueles que pensam do mesmo modo ou de um jeito parecido se juntam. 
E os que têm outra opinião fazem a mesma coisa.” 

O terceiro livro, “O que são classes sociais?” aborda o tema da desigualdade e de como ela se forma e se perpetua, desde o nascimento  até a chegada do indivíduoao mercado de trabalho, passando pela escola e tocando na questão da meritocrática e da luta de classes. Nesse livro é necessário fazer certa intervenção já que, em alguns momentos, há uma tendência a enquadrar as classes sociais em estereótipos. Nem todos da classe alta pensam do mesmo jeito. O mesmo vale para as classes média e baixa.

“Todos nascem iguais
Mas existem coisas que as tornam desiguais:
a força, o poder, o dinheiro e a cultura.

Os filhos dos ricos… nascem ricos.
Os filhos dos pobres… nascem pobres
alguns estudam em colégios caros.
Outros aprendem onde dá: na escola pública, na vizinhança, em casa.”

“As mulheres e os homens“, apesar de escrito na década de 1970, é bastante atual. Desconstrói padrões de gênero e faz uma reflexão sobre a posição em que, mulher e homens são colocados desde pequenos.

“As mulheres e os homens são muito semelhantes, embora pareçam muito diferentes.
Os homens parecem mais importantes do que as mulheres.
As mulheres parecem mais frágeis.
Mas nada disso é verdade.
Existem mulheres importantes e homens frágeis.”

“Desde criancinhas, os meninos são tratados de um jeito… e as meninas de outro, bem diferente.”

É necessário dizer que essa coleção é uma série de quatro títulos dirigida a jovens e publicada originalmente em Barcelona, Espanha, entre 1977 e 1978. Por isso, algumas coisas têm de ser atualizadas. Outras nem tanto (infelizmente). Por isso a leitura mediada se faz necessária.

Agora, reeditados e com novas ilustrações, os livros são um excelente ponto de partida para quem quer começar a conversar com as crianças sobre esses temas tão difíceis e controversos. Principalmente nesse momento de efervescência política, no qual as crianças ouvem muito e tem poucos instrumentos para interpretar. 

Indicamos para crianças a partir de 8 anos, mas sabemos que toda criança é diferente e que, mesmo que não entendam tudo, elas podem absorver um pouco, e isso já é muito bom!

Coleção Boitatá

autor: Equipo Planeta

Ilustradores:
A Ditadura é assim:  Mikel Casal
A Democracia pode ser assim:  Marta Pina
O que são classes sociais? – Joan Negrescolor
As mulheres e os homens – Luci Gutierrez

Editora:  Boitempo Editorial 

Preço médio (por obra): R$ 39,00

Sobre o autor

Isabella Zappa

Isabella Zappa

Pedagoga, psicopedagoga e mestre em Educação pela PUC-Rio. Atua como professora do Ensino Fundamental I e faz atendimento psicopedagógico de crianças com questões de leitura e escrita, usando a literatura infantil como aliada nesse processo.

Deixe um comentário