Diversidade História Leitor Iniciante

Jemmy Button

Preciso confessar: fui atraída pela capa do livro, mais precisamente pelas cores da capa. Sim, julguei o livro pela capa, no mínimo fiz uma primeira avaliação.

Jemmy estava na seção de lançamentos da livraria. Logo notei Darwin no título, o que aguçou minha curiosidade e despertou meu interesse. Minha turma estava justo naquele momento, estudando a biografia do naturalista inglês. O que será que o Darwin estava fazendo naquele livro?

Foi o suficiente para decidir que seria aquele. Diante de tantas possibilidades em bibliotecas e livrarias é preciso um bom motivo para se escolher uma obra e folheá-la com calma.

O texto é pequeno e simples, as ilustrações, belíssimas!

Século XIX. Jemmy é morador de uma ilha na Terra do Fogo. Um dia, chega uma expedição de “homens civilizados” ingleses e levam o menino para passar um tempo na cidade.  Em “troca” dão de presente a seus pais um botão feito de pérola, daí o nome dado a ele, Button (botão). Chegando no outro mundo, Jemmy é vestido com roupas e modos educados.

“As cores e os barulhos e as roupas fizeram Jemmy se sentir muito pequeno. 
Ele também quis um chapéu, e se embrulhar em tecidos finos
Em pouco tempo ele estava quase igual aos outros...” 

Depois de algum tempo, Jemmy sente falta de casa e os ingleses concordam em mandá-lo de volta, na esperança de que ele ajudasse a civilizar os habitantes de sua ilha.

E o que Darwin tem a ver com isso?

Após o final do livro há um pequeno texto sobre a história real de Jemmy. Darwin estava no barco que o trouxe de volta à Terra do Fogo.

E então, fiz bem em julgar o livro pela capa?

Jemmy Button: o menino que Darwin levou de volta para casa
Jennifer Uman & Valerio Vidali
Ilustrações: Alix Barzelay
Editora: Pequena Zahar

Sobre o autor

Isabella Zappa

Isabella Zappa

Pedagoga, psicopedagoga e mestre em Educação pela PUC-Rio. Atua como professora do Ensino Fundamental I e faz atendimento psicopedagógico de crianças com questões de leitura e escrita, usando a literatura infantil como aliada nesse processo.

Deixe um comentário