Leitor Autônomo Leitor Experiente Temas delicados

Nuno e as coisas incríveis

Nuno e as coisas incríveis

 

Múltiplas Linguagens

As diferentes linguagens são nossa forma de estar no mundo. E pra isso a arte é instrumento indispensável salva vidas. Se não consigo falar meus sentimentos, escrevo. Se não consigo compreender o que se passa comigo, desenho, canto, danço, pinto.

A escola é um espaço onde essas múltiplas linguagens se misturam. O ideal da instituição de ensino é que ela possa dar a cada um a oportunidade de encontrar sua forma de expressão, encontrando seu lugar no mundo.

Entretanto, o final da infância e a adolescência podem ser um tanto  cruéis com quem escolhe trilhar seus próprios caminhos. O diferente incomoda e é logo rechaçado pelos amigos. E o que a gente mais quer é ser aceito. Para os mais inseguros, se expressar nessas condições e não ser aceito é um passo para trás na construção da identidade.

Nuno e as coisas incríveis

É sobre isso que fala nosso livro de hoje. Nuno e as Coisas Incríveis narra a história de um menino que tinha o desenho como forma de se expressar no mundo. Tudo servia como inspiração e até seu lado sombrio, muitas vezes escondido, se revelava em seus traços.

Certo dia, Nuno conhece Nina, que se manifestava pelas palavras.

 

“Mais que depressa, ele virou a folha e fez pra Nina… um desenho. –

  • Mas isso é um rabisco – Disse Nina.

E antes de jogar o presente fora, desfrutou dele com boas risadas entre os amigos.”

 

Nuno fica arrasado e a vontade que tinha era de jogar todos os seus desenhos no lixo. Mas, ao invés disso, ele faz um mural com todas as suas obras. E é aí que o leitor tem a dimensão do talento do menino.  Nuno descobre que também fazia poesia, através das cores.

Com pouco texto e tomado por belas imagens, a obra grita por um olhar atento de um leitor autônomo ou experiente. Há muita poesia para ser descoberta nessas páginas.

 

André Neves

Mais que tudo, o livro é uma obra sensível sobre e olhar para o outro e para si mesmo.  E isso o autor e ilustrador André Neves faz muito bem. Não é a toa que a obra foi uma das ganhadoras do Prêmio Jabuti 2017 na categoria Ilustração Infantil Juvenil.

André é um dos mais importantes ilustradores infantis brasileiros. Ganhador de diversos prêmios, suas obras já foram traduzidas para vários idiomas. Com seu traço delicado e forte, as figuras parecem querer sair do papel e conversar com  gente. André já apareceu por aqui com o tocante “Um dia, Um rio”, também indicado do Prêmio Jabuti deste ano. Ou seja, o autor é sinônimo de encanto, qualidade e sensibilidade. Ao final das páginas estamos com os olhos cheios d´água.

 

Boa leitura e boa apreciação!

 

Sobre o autor

Isabella Zappa

Isabella Zappa

Pedagoga, psicopedagoga e mestre em Educação pela PUC-Rio. Atua como professora do Ensino Fundamental I e faz atendimento psicopedagógico de crianças com questões de leitura e escrita, usando a literatura infantil como aliada nesse processo.

Deixe um comentário