Leitor Autônomo Leitor Experiente Leitor Iniciante Para se divertir

4 livros sobre futebol

4 livros sobre futebol

 

 

Quatro livros sobre futebol. Em época de Copa do mundo não tem jeito, o assunto que rola é o futebol. Mesmo tentando sair do clichê “Brasil é o país do futebol”, a gente veste a camisa e para pra assistir a partida da seleção canarinho. As crianças, que já estavam contagiadas desde o álbum da Copa, já estão na sala, de chuteira e bola na mão.

Que tal aproveitar esse momento de empolgação e ler uma boa história sobre futebol? Separamos quatro obras incríveis que vão dar uma goleada na criançada!

Uma história de futebol (José Roberto Torero)

Esse é um dos meus livros favoritos sobre futebol. Indico sempre para aqueles alunos e alunas que passam o recreio jogando bola ou que estão sempre contando sobre as vitórias (ou derrotas) de seus times.

José Roberto Torero sabe falar muito bem com as crianças. O narrador desse livro é o Zuza, melhor amigo de Dico. Os dois são os capitães dessa história, porque o protagonista mesmo é o futebol. São eles que, em qualquer intervalo, correm pela cidade assoviando e chamando a turma para o jogo. Tem o Azeitona, o Espaguete, Bala, o Tom Mix… ao total, são onze meninos, um verdadeiro time. Ainda tem a Senira e a Camencita, porque esses amigos, que aprontam as maiores confusões em nome da redonda, não vivem só de futebol. O interessante da obra é mostrar o universo infantil em uma cidade do interior e, se tivéssemos que escolher um segundo protagonista, esse seria a amizade.  

O livro narra um ano (e um campeonato) na vida dessa turma e os capítulos tem o nome dos meses. Ou seja, uma história com fôlego e ritmo de sobra.

Dico era o apelido de infância do nosso mestre Pelé e história é inspirada em um filme que conta as memórias infantis do rei do futebol. Já é um motivo e tanto para atacar essa obra, não é?

A editora é a Alfaguara e nós indicamos a obra para os leitores autonômos.

 

Armandinho, o Juiz  (Ruth Rocha)

Você já imaginou o que seria de um jogo de futebol sem um juíz? Pois é isso que acontece quando Armandinho, cansado de ser xingado, decide parar de apitar e entrar pro time. A turma fica enlouquecida. Ninguém se entende e eles não conseguem nem mesmo decidir a bola do jogo. O clássico de Ruth Rocha, escrito em 1984, tem texto leve, ritmado,  frases curtas e do tamanho das crianças. As ilustrações são da inconfundível e divertida Mariana Massarani. A obra faz parte da coleção “A turma da nossa rua”, produzia por essa dupla incrível e tem quatro outros títulos pra quem tem fome de livro.

A editora é a Salamandra e nós indicamos para os leitores iniciantes.

 

O guardião da bola (Lúcia Hiratsuka)

Lúcia Hiratsuka escreve sobre suas memórias de infância no sítio onde foi criada no interior de São Paulo. Nessa história, inspirada em um relato do pai de Lúcia, os meninos estão doidos para ter uma uma bola de verdade, aquela que rola direitinho e faz os jogadores correrem um tanto atrás dela. Atacam de vaquinha, cada um dá um pouquinho e o brinquedo tão esperado chega, enfim, nas mãos dos meninos. Mas quem vai levar a bola pra casa? Juca é o sorteado e ganhador, mas não é o dono da bola, é somente o guardião. E com essa função vem muita responsabilidade. Nós aqui somos fãs declarados da obra de Hirastuka. O texto e a ilustração são de tamanha poesia que transbordam o campo do Maracanã. É gol de letra e pincel.

A editora é a Moderna e nós indicamos para os leitores inciantes e autônomos.

Clicando aqui você conhece outro livro de Lúcia Hiratsuka! 

A bola e o goleiro (Jorge Amado)

Como transformar algumas cenas de futebol em uma narração literária? Jorge Amado, nosso craque das letras, criou um conto, daqueles da gente ficar vidrado querendo saber o que vai acontecer em seguida, sobre um o goleiro e uma bola de futebol. A bola Fura-Redes não perdia um só lance, era o terror dos goleiros e esplendor dos atacantes. Não fazia distinção entre os times, na hora de fazer gol autoral, a redonda era imparcial.

Até que um certo goleiro, conhecido e afamado pelo nome daquela ave, aparece em seu campo de visão. Com uma camisa amarela cor de filhote daquela ave, é alvo da paixão fulminante e instantânea de Fura-Redes. A bola que se apaixonou pelo goleiro, logo ela, que dele devia escapar. E a partir de então, não há gol, nem feito de mão.

Fura- Redes gosta mesmo é de se aninhar nos braços do seu Bilô-Bilô, o Cerca-Frangos. Mas é dia de campeonato, o Rei do Futebol está prestes a fazer seu milésimo gol e já tinha a bola escolhida para o feito. O que será desse caso? Como será que termina essa partida-história de amor? Essa é a grande história de Fura- Redes e Bilô-Bilô, personagens criados pelo escritor baiano que adorava futebol.

O livro também foi publicado em 1984 e a editora é a Companhia das Letrinhas.

Indicamos para os leitores experientes ou para uma leitura compartilhada com os leitores autônomos.

Mulheres e futebol

Não posso terminar esse post sem fazer uma observação muito importante. Na leitura das quatro obras, me chamou a atenção a escassez de personagens femininos nas histórias. Quando as mulheres aparecem são como

espectadoras e não como jogadoras. Apesar de um tanto incomodada com isso, creio que precisamos situar as obras no contexto histórico, social e cultural no qual elas estão inseridas. Os livros de

Ruth Rocha e Jorge Amado foram escritos no início da década de oitenta e, os outros dois, no início dos anos dois mil. A questão da representatividade feminina, na sociedade, na literatura e no futebol, tem caminhado a passos largos, mas ainda é lenta. No futebol, ainda somos dominados por representantes masculinos e, mesmo com Marta, ainda é difícil um lugar ao sol.

Achamos, entretanto,  que essas obras podem ser ponto de partida para uma boa discussão sobre o tema. Pegue esse gancho e reflita com as crianças. É , a partir daí, que vamos transformando a sociedade.

 

É claro que existem obras sobre meninas e futebol, mas elas ainda são poucas e, pouco conhecidas. Em uma rápida busca pela internet encontramos Café com Leite um livro de Ilan Brenmann ilustrado por Bruna Assis Brasil  e Gol de Budi, Marília Lemos, com ilustrações de Rebeca Prado. Marília conta que sentiu essa mesma falta de personagens femininos na Literatura infantil de futebol e resolveu escrever sua própria história.

Boas leituras e vai Brasil!!!!!

Sobre o autor

Isabella Zappa

Isabella Zappa

Olá, eu sou Isabella, autora do Na Corda Bamba! Fiz minha graduação e mestrado em Educação na PUC-Rio e uma pós graduação em Psicopedagogia. Além de escritora e poeta, sou professora de Ensino Fundamental I . Meu grande objetivo é formar leitores e escritores! Por isso, livros, letras e poesia transbordam nas minhas aulas!

Deixe um comentário