Leitor Autônomo Leitor Iniciante

A Epopeia de Gilgamesh

O Primeiro livro da história

Você sabe qual foi o primeiro livro de que se tem notícia? Em 1853 arqueólogos britânicos encontraram 12 tábuas de argila onde estava escrito o que se acredita ser o primeiro livro da história da humanidade. As tábuas, datadas de 2100 AC, foram encontradas na antiga cidade de Nínive e continham a escrita cuneiforme, uma das primeiras formas de escrita.  Essa escrita foi desenvolvida pelo povo sumério que habitava a região Mesopotâmia (atual Iraque).

Em busca da imortalidade

A Epopeia de Gilgamesh é um antigo poema épico que narra as aventuras do Rei de Uruk em busca da imortalidade. No início da narrativa, Gilgamesh é um rei amargo e cruel que não tinha amigos, um semi-deus que não sabia o que era ser humano. O Deus Sol ordenou a criação de outro homem, tão forte quanto Gilgamesh, feito de barro.

Ao longo da saga, dividida nessa edição em três volumes, o rei descobre a verdadeira amizade, precisa lutar contra deuses e monstros e descobre também a tristeza pela da morte daqueles que quer bem. Por isso sai em busca da imortalidade. Percorre mares tenebrosos, é desestimulado por todosm mas persiste em sua procura. Gilgamesh é obstinado e valente. Entretanto, o rei descobre que a verdadeira imortalidade está naquilo que construiu, no que deixará para seu povo e no que pode cultivar no coração das pessoas.

A história é tão antiga que inspirou diversas obras clássicas como a Odisséia, A Ilíada e, acredita-se que até a Bíblia.

Projeto literário

Não sei se já contei por aqui, mas o projeto da minha turma esse ano é nada menos que O LIVRO.  O primeiro passo foi fazer com as crianças uma caça ao tesouro que era, nada menos que a própria biblioteca da escola.  O objetivo era que eles percebessem que os livros são o grande tesouro das sociedades. Em seguida fizemos um passeio à Biblioteca Nacional e ao deslumbrante Real Gabinete de Leitura Português.

Usamos a Epopeia de Gilgamesh como disparador para embarcar na trajetória do livro. Em seguida, estudamos a escrita cuneiforme (a primeira forma de escrita, surgida na Mesopotâmia em 2500 AC). Depois observar um dos primeiros alfabetos da humanidade,  as crianças puderam produzir em pequenas tábuas de argila seus próprios nomes ou apelidos. Eles entraram em uma máquina do tempo e se sentiram como os primeiros humanos a escrever. Foi um processo incrível! 

A edição

Sempre comento sobre a importância de se escolher uma boa edição de clássicos. É preciso que a obra seja adequada a nível de leitura da criança e que haja uma boa mediação. Nessa edição, a Projeto traz a história recontada e ilustrada por Ludmila Zeman. A obra é dividida em três volumes pequenos bem ilustrados. O texto é bastante adequado aos leitores iniciantes e autônomos e os desenhos são belíssimos, com jeito e traços de antiquidade.  Por aqui a história fez o maior sucesso!

 

Sobre o autor

Isabella Zappa

Isabella Zappa

Olá, eu sou Isabella, autora do Na Corda Bamba! Fiz minha graduação e mestrado em Educação na PUC-Rio e uma pós graduação em Psicopedagogia. Além de escritora e poeta, sou professora de Ensino Fundamental I . Meu grande objetivo é formar leitores e escritores! Por isso, livros, letras e poesia transbordam nas minhas aulas!

Deixe um comentário