Literatura

O URSO QUE NÃO ERA – PARCERIA A Taba

Invasão na floresta

Chegou o inverno e o urso encontrou uma caverna para passar essa estação gelada bem quietinho. Quando acordou, se deparou com uma floresta completamente diferente. Não havia mais árvores e sim uma enorme fábrica.

O urso, ainda sonolento, andou pelos corredores, entre máquinas, homens e muita fumaça; mas não ficou em paz por muito tempo. O chefe imediatamente o mandou voltar ao trabalho. Mas como? Eu não sou trabalhador, eu só um urso.

Não adiantou, por mais que dissesse ser apenas um animal peludo, os homens da fábrica se recusavam a acreditar nele. E aí começa uma narrativa kafkaniana de dar dó. Do diretor para o terceiro vice-presidente, deste para segundo vice-presidente até chegar ao maior chefe da fábrica. Todos dizem a mesma coisa:

“Você não é um urso, é um homem bobo que precisa fazer a barba e usa um casaco felpudo.”

A procura de seus semelhantes

O urso continua atônito. Percebendo a resistência do animal, os homens resolvem levá-lo ao zoológico e ao circo, no intuito de provar que ursos estão nesses lugares e não no meio de fábricas. Para desespero do nosso protagonista, os animais não o reconhecem como igual. O urso volta na companhia dos homens, desalentado e, sem outra opção, começa a apertar parafusos, operar máquinas, obedecer aos chefes. Muito tempo depois a fábrica precisa fechar, todos os homens vão embora e o urso solitário já não tem para onde ir.

Mas o inverno está chegando novamente, as folhas começam a cair, ele precisa encontrar uma caverna para hibernar. Mas hibernar como se ele não é um urso? Homens não hibernam.

Conversando sobre a obra

A partir dessa obra podemos levantar questões sobre a identidade, a rejeição, o lugar que a gente encontra no grupo de amigos ou na família. Podemos pensar sobre estereótipos, diferenças e, mais amplamente, sobre a questão política e social do trabalho.

Essa obra é um clássico e foi escrita (acreditem) em 1946 por Frank Tashlin. Os desenhos são cheios de detalhes, irreverentes, as expressões do urso cheias de vida e sentimento. Preste atenção nos olhos. Se os traços te parecerem familiares não se assuste, Frank foi um dos criadores do clássico desenho Looney Tunes (Pernalonga e cia).

Entre humor, reflexão e um tanto de melancolia, a história toca a gente lá no fundo. Uma obra completa publicada aqui pela Editora Boitempo.

Seleção da Taba

Vou deixar vocês curiosos com o final, mas posso dizer que é um livro extremamente reflexivo que a Taba enviou para os leitores autônomos do clube de assinatura. O mapa de exploração que vem junto ajuda muito nas conversas e ainda tem informações sobre ursos! 

 

Além disso, nesse pacote também recebemos um mimo super especial: um baralho de perguntas divertidas para movimentar ainda mais as conversas em família ou entre amigos. De um lado uma ilustração bem legal e do outro questões sobre sonhos, cotidiano, medos, preferências e etc.

E você, já é assinante da Taba? Nossos seguidores tem desconto na primeira mensalidade!  É só clicar na imagem aqui embaixo: 

Boa leitura e boas conversas!

 

 

Sobre o autor

Isabella Zappa

Isabella Zappa

Olá, eu sou Bella, criadora do Na Corda Bamba! Sou pedagoga, psicopedagoga e mestre em Educação. Atualmente trabalho como professora de Ensino Fundamental I aqui no Rio de Janeiro.
Sou uma viajante literária e geográfica, adoro comida italiana, cheiro de mato e o canto dos passarinhos.

Deixe um comentário