História Leitor Autônomo Leitor Iniciante

Quando a escrava Esperança Garcia escreveu uma carta

Esperança

Esperança Garcia foi uma mulher escravizada na época época em que os padres jesuítas estavam no Brasil. Foi com eles que ela aprendeu a ler e escrever, assim com a prática da religião católica. Esperança era casada, e todos viviam em uma fazenda no Piauí. 

Em 1759 os jesuítas foram expulsos do Brasil pelo Marquês de Pombal e a família de Esperança se separou. O marido ficou em Algodões com os filhos mais velhos e ela foi levada com os mais novos para uma outra casa servindo de cozinheira. 

Esperança suportava violências e abusos de seu novo capitão, mas o pior eram os maus tratos que os filhos sofriam. Indignada, ela, leitora do mundo e das letras, resolveu escrever uma carta para o governador da província denunciando tudo o que ela e seus filhos passavam nas mãos do capitão. Praticante da religião católica e queria também se confessar e batizar seus filhos. 

Uma história de coragem

Tão importante quanto a força e a coragem dessa mulher é que a gente conheça essas histórias para que não esqueçamos o passado (e presente) escravocrata do nosso país. 

A carta foi escrita em 1770, mas não se tem conhecimento de uma resposta. 

O livro escrito por Sonia Rosa e ilustrado por Luciana Justinimani Hees é um projeto super bem cuidado da @pallas. Capa dura, papel brilhante, texto delicado, profundo e um tom bem adequado para os leitores autônomos (8-9 anos). 

A história relata os fatos e a rotina de Esperança sem pesar ou pegar leve nas tintas, nos mostrando a carta adaptada à linguagem atual e as condições dos escravos. 

As ilustrações

As ilustrações são outro ponto alto desse livro. A paleta de cores usada por Luciana sai do lugar comum preto e branco e utiliza tons de verde, roxo e marrom. Os desenhos se destacam pela pela beleza e pela forma como nos comunicam a história. Esperança é grande e aparece em quase todas as páginas, protagonista da história e de sua vida. Assim  como a pena, que é retratada diversas vezes revelando o poder da escrita.

Precisamos conhecer mais Esperanças, Dandaras, Carolinas, Firminas e tantas outras. 

Boa leitura e boas conversas!

Sobre o autor

Isabella Zappa

Isabella Zappa

Olá, eu sou Bella, criadora do Na Corda Bamba! Sou pedagoga, psicopedagoga e mestre em Educação. Atualmente trabalho como professora de Ensino Fundamental I aqui no Rio de Janeiro.
Sou uma viajante literária e geográfica, adoro comida italiana, cheiro de mato e o canto dos passarinhos.

Deixe um comentário