História Leitor Experiente

Pequena História da escrita

Escritas

Esse é um post que vai direto para os professores ou para os curiosos. Pequena História da Escrita foi escrito por Sylvie Baussier, ilustrado por Daniel Maja e publicado aqui no Brasil pela editora SM.

Como já disse por aqui algumas vezes, me perdoem a repetição, o projeto da minha turma de 2019 é nada mais nada menos do que o Livro e uma das abordagens que escolhemos foi a histórica, por isso, adotamos esse livro incrível.

A obra é dividida em 4 partes, começando com a primeira forma de escrita sumérica na argila, passa pelos hieróglifos no papiro, aborda o surgimento do alfabeto grego e romano, o papel da China, a escrita na América, as caligrafias árabes. Chega, então, aos copistas e, em seguida, no surgimento da imprensa. Eu vou me deter nessa parte pra contar pra vocês uma das atividades que eu fiz a partir desse livro. O objetivo era mostrar para as crianças a grande revolução que Gutemberg fez com a invenção dos tipos móveis e a diferença entre as duas formas de se copiar um texto.

Escrevendo com tipos móveis

Os alunos receberam palitos de churrasco e deveriam copiar a mesma palavra molhando o palito na tinta nanquim. Disse pra eles que o trabalho dos copistas ainda era muito mais difícil pois a antiga pena usada por eles não sugava tanta tinta como o palito. Cronometramos o tempo de 4 cópias.

Já tinha preparado uma espécie de tipos móveis usando letras de EVA coladas em rolhas. Usei um vão da escola como suporte, as crianças colocaram tinta nas letras e imprensaram quatro cópias da mesma palavra. Cronometramos o tempo e percebemos a diferença no trabalho e na duração da tarefa.

Nas fotos você pode ver um pouco desse trabalho que foi acompanhado de uma discussão e de uma pesquisa sobre Gutemberg.

Eles sabem que os Chineses sempre estiveram na nossa frente e inventaram, antes do alemão, um outro tipo de cópia semelhante à xilogravura. Mas a revolução de Gutemberg foi conseguir montar diversas palavras e frases com os tipos que se combinavam.

A leitura dessa obra foi essencial para embasar teoricamente nossos caminhos e é uma boa pedida para os projetos escolares com esse tema.

Boa leitura e boas conversas!

Sobre o autor

Isabella Zappa

Isabella Zappa

Olá, eu sou Bella, criadora do Na Corda Bamba! Sou pedagoga, psicopedagoga e mestre em Educação. Atualmente trabalho como professora de Ensino Fundamental I aqui no Rio de Janeiro.
Sou uma viajante literária e geográfica, adoro comida italiana, cheiro de mato e o canto dos passarinhos.

Deixe um comentário