Família Poesia

Na Corda Bamba na Travessa: Meu Pequenino

Parentalidade

Uma vida inteira não dá conta da história de amor entre pais e filhos. São tantas coisas pra contar, uma imensidão pra se dizer. Por isso, nas páginas desse livro, ainda insuficientes, o silêncio prevalece,  e os poucos traços e as breves palavras que ecoam dentro da gente, como o tempo. 

Entre pais e filhos há uma geração de distância, a geração do tempo e a geração do corpo. Se é a mãe que gesta, é ela o primeiro corpo habitado por aquele ser. Ele é o seu pequenino ou pequenina.

Meu Pequenino

No início, a mãe segura seu bebê, seu pequenino. Amamenta, embala, protege, brinca… Ao longo do livro, as linhas e traços, a transformação, o crescimento dos dois, o amadurecimento, a vida e a eternidade. 

O casal suiço Germando Zullo e Albertine criou um livro sobre a vida. A primeira impressão é que as palavras e os desenhos se repetem, como num ciclo. E é isso mesmo que acontece, o ciclo da vida, o tempo, que por vezes parece curto, por outras longo demais. Mas nunca o suficiente para uma mãe e seu filho. 

O fundo branco dá conta do silêncio que precisamos para ler essa obra. É incrivelmente difícil escrever sobre ela, ainda mais não tendo ainda experimentado o sentimento da maternidade. Mas por que eu a escolha? Por acreditar que é um dos melhores presentes que uma mãe pode ganhar ou dar pro seu filho ou filha. 

O narrador é a mãe, mas poderia ser a cria porque essa é uma história sem dono, sem início, meio ou fim. É a história da eternidade do maior amor do mundo.  

Palavras e imagens

O livro se movimenta e nos movimenta. Olhando as páginas rapidamente gente pode assistir como um filme. São duas narrativas, paralelas, complementares, diferentes, harmônicas e ao mesmo tempo dizem coisas tão diferentes. Assim como mãe e filho, texto e imagem caminham lado a lado com suas singularidades.  Poesia em estado bruto. 

 

“Aqui está você… enfim! 

Eu te esperava. 

Meu bebê, meu menino, meu pequenino!”

 

Um livro que surpreende, acolhe, embala, faz voltar no tempo, nos faz compreender as mães, nos orgulhar delas e perceber a necessidade de cuidar delas, até o fim, quando o ciclo se renova.  

Cada centímetro desse livro transborda amor. Leitores filhos vão se dar conta do quanto foram esperados, amados e cercados do melhor que suas mães podiam dar. 

Para as leitoras mães, um acalanto, uma lembrança, um retrato em branco e preto concreto da maior história de amor de suas vidas.

O projeto gráfico super bem cuidado, capa dura e jeito de álbum de retratos é da super Editora Ameli, uma editora nova que chegou com tudo e que prima pela curadoria e pela dedicação aos projetos. 

Conheça outros livros da Editora Amelì. 

Prepare-se para se emocionar!

Boa Leitura e boas conversas!

Sobre o autor

Isabella Zappa

Isabella Zappa

Olá, eu sou Bella, criadora do Na Corda Bamba! Sou pedagoga, psicopedagoga e mestre em Educação. Atualmente trabalho como professora de Ensino Fundamental I aqui no Rio de Janeiro.
Sou uma viajante literária e geográfica, adoro comida italiana, cheiro de mato e o canto dos passarinhos.

Deixe um comentário